A misionária Stacy e seu pai(rev.Arlindo) foram até a aldeia Pataxó .

maio 29, 2011

 

 

 

Os pataxós participam do conjunto biótico-cultural-ambiental que representa o sul da Bahia e precisam ser respeitados.

Os pataxós são um povo indígena de língua da família maxakali, do tronco macro-jê. Apesar de se expressarem na língua portuguesa, alguns grupos conservam seu idioma original, ensinando-o aos mais novos.

Em 1990, os pataxós eram aproximadamente 1600. Vivem em sua maioria na Terra Indígena Barra Velha do Monte Pascoal, ao sul do município de Porto Seguro, a menos de um quilômetro da costa, entre as embocaduras dos rios Caraíva e Corumbáu.

Principal local das comemorações dos 500 anos de Descobrimento do Brasil, a reserva indígena de Coroa Vermelha (sul da Bahia), em Santa Cruz Cabrália, está sendo descaracterizada por obras voltadas para os turistas.

Os pataxós são índios da família macro-jê e fazem parte do grupo dos botocudos -também chamados de aimorés ou tapuias.

Quando chegaram os primeiros europeus, os botocudos ocupavam grandes faixas da mata atlântica, da baía de Todos os Santos até a foz do rio Doce, no Espírito Santo.

A primeira região do Brasil a ser avistada pelos portugueses em 1500 foi o sul da Bahia, mais precisamente o Monte Pascoal.

A região do Monte Pascoal era originalmente terra pataxó. Foi transformada, através de um decreto-lei, em 1961, em parque nacional.

Sem outras alternativas econômicas, os índios se associam a madeireiros e ajudam a retiram a cobertura vegetal do parque, vendem ervas e “garrafadas” com propriedades terapêuticas. Vão para as cidades da região tentar a vida em desigualdade de condições com os brancos.

Mas porque não considerar também os índios pataxós como um patrimônio?

Uma idéia que corre em paralelo com a conservação de diversidade biológica é a da conservação da diversidade cultural.

O REV.Arlindo e sua filha missionária fora até eles e oraram ministrando-lhes a palavra de Deus.Oremos por eles!

Vejas as fotos dos Pataxós com Stacy e seu pai:

 

 

Leave a Reply